Nietzsche e a verdade (II) – citações

29 de julho de 2009

 

O pensar racional é um interpretar segundo um esquema que não podemos recusar;

O mundo aparece-nos como lógico porque nós, antes, o tornamos lógico; conhecimento e devir excluem-se;

Posto que tudo é devir, então o conhecimento só é possível tendo como fundamento a crença no ser;

O princípio (da contradição) não contém, portanto, nenhum critério de verdade, mas sim um imperativo sobre aquilo que deve valer como verdadeiro;

Kant acredita no fato do conhecimento: é uma ingenuidade o que ele quer: o conhecimento do conhecimento!

A legitimidade da crença no conhecimento é sempre pressuposta: assim como a legitimidade do sentimento do juízo de consciência;

Os princípios fundamentais da lógica, o princípio da identidade e da contradição, são conhecimentos absolutamente nenhuns! Mas sim artigos de fé reguladores!

Expresso moralmente: o mundo é falso. Mas, à medida que a moral, ela mesma, é um pedaço desse mundo, então a moral é falsa;

Todo acontecer, todo movimento, todo devir como um verificar-se de proporções de graus e de força, como luta;

Verdade” é uma palavra para “vontade d poder”;

A verdade é um preconceito moral.

Extraídas de “A vontade de poder”. Rio de Janeiro: Contraponto, 2008.

 206 total views,  1 views today

Número de Visitas 1735

3 Comentários

  1. “O pensar racional é um interpretar segundo um esquema que não podemos recusar” Kant ja tinha exposto as estruturas gerais do pensamento que definem a maneira como apreendemos o mundo. O mundo só é (existe) a partir dessas estruturas que o compoem. Não existe lógica no mundo, apenas projetamos a nossa maneira de percebe-lo nele.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *